Vhoor segue o baile com ‘Resenha’, álbum em que o DJ e produtor parte do funk de Belo Horizonte para o mundo

0
37

O DJ e produtor musical Vhoor lança na próxima sexta-feira, 26 de abril, o álbum ‘Resenha’, calcado no tamborzão do funk de Belo Horizonte
Divulgação
♪ Em 2014, empresa norte-americana de calçados e roupas, com forte atuação no mercado de esportes, usou sem autorização uma música de Victor Hugo de Oliveira Rodrigues – então um adolescente mineiro de 16 anos que dava os primeiros passos na carreira de DJ e produtor musical no universo do funk – em campanha publicitária da liga estadunidense de basquete (NBA). Ao saber da apropriação indébita, Victor reivindicou os direitos autorais e os recebeu sem precisar recorrer à Justiça.
Dez anos depois, Victor Hugo de Oliveira Rodrigues já tem 26 anos e é conhecido além das fronteiras do Brasil como Vhoor, nome artístico com o qual se apresentou em clubes dos Estados Unidos e da Europa no rastro do sucesso do álbum Baile (2021), gravado pelo artista com o rapper FBC e lançado há três anos. Na próxima sexta-feira, 26 de abril, Vhoor segue o baile com a edição do álbum Resenha pelo selo Empire.
Antecedido pelos singles Assovio (gravado com o DJ e beatmaker mineiro D.A.N.V.) e Flash, o álbum Resenha parte do funk de Belo Horizonte (MG) – cidade onde Vhoor nasceu e foi criado no bairro de Venda Nova – rumo a outros gêneros e batidas da música eletrônica do Brasil e do mundo, mas sem se afastar do funk, matéria-prima do som do artista.
Rolezinho, faixa que abre o disco, já mostra que o tamborzão impera na arquitetura de Resenha, álbum com que Vhoor procura revitalizar o chill baile, misturando o funk de Belo Horizonte (MG) com o batidão de Rio de Janeiro e São Paulo. Barulho da água, por exemplo, é tema embasado pela batida do funk mandelão de Sampa.
BH house (mix do funk mineiro com as batidas de Chicago), Deslizando, Escorregou (música que reprocessa Escorregou, abaixa e pega, pancadão lançado pelo MC Sabãozinho em 2008) e Igrejinha são outras faixas deste disco em que o DJ e produtor musical segue trilhas mais obscuras.
Essa trilha sombria é apontada por Bolha, faixa densa – gravada com MC GW – que mostra que Victor Hugo de Oliveira Rodrigues quer realmente seguir o baile com o álbum Resenha.
Capa do álbum ‘Resenha’, do DJ e produtor musical mineiro Vhoor
Arte de Kramer

Fonte: G1 Entretenimento