Tollini fala em “atenção redobrada” para verificar possibilidade de uma 2ª onda de Covid-19 devido às eleições e projeta vacina no 1ª trimestre de 2021

0
19
Foto: André Araújo/Secom

O secretário estadual da Saúde, Edgar Tollini, reforçou em coletiva de imprensa na segunda-feira, 17, que o Tocantins ainda vive a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), mesmo que não esteja em estado severo ou grave como em agosto, mas que “ainda merece a manutenção de todos os cuidados sanitários de contenção do vírus”, lembrou o gestor.

Painel de casos

Após oito meses do primeiro caso da doença no Tocantins em março, o Estado contabiliza 78.169 diagnósticos positivos, com média móvel de 101,86 nos últimos sete dias. Do total, 69.626 pacientes encontram-se recuperados (88% dos casos). A doença também levou a óbito 1.128 pessoas, enquanto 8.187 estão em isolamento domiciliar.

Ações da gestão

Para Tollini, o Poder Executivo elaborou ações assertivas contra a pandemia. Dentre os feitos, o gestor elenca a implantação 429 leitos exclusivos para pacientes com Covid-19, com os 18 hospitais oferecerem tratamento para a doença e sete terem Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O secretário relembrou que o Tocantins aplicou os R$ 92 milhões recebidos do Ministério da Saúde em contratações e compras de insumos necessários para a pandemia, e reforçou que o Estado passou pelo período sem transferir pacientes para outras regiões.

Atenção redobrada em possível segunda onda

Sobre a possibilidade de uma segunda onda de casos em decorrência das aglomerações resultantes do processo eleitoral finalizado no domingo, 15, o secretário prometeu um acompanhamento reforçada da vigilância para projetar o cenário. “Nos próximos 15 dias, estaremos com atenção redobrada, mas a população pode ficar tranquila, pois não fizemos desmonte de leitos e toda estrutura permanece à disposição dos usuários do Sistema Único de Saúde”.

Imunização no ano que vem

Sobre a vacinação contra a doença, o secretário acredita que o Tocantins terá no primeiro trimestre de 2021 um imunobiológico para disposição da população. As doses recebidas serão repassadas aos municípios, obedecendo a ordem dos grupos prioritários.

Análise clínica célere

O Tocantins aumentou sua capacidade de testagem, segundo Tollini. Além do Laboratório Central de Saúde Pública do Tocantins (Lacen) analisar 2 mil amostras diariamente, Araguaína inaugurou outro Lacen. “Temos a mais célere liberação de resultados do país”, completou.

 

Por: Portal do CT