Professor que morreu um mês após casamento realizou sonho de formar família e esposa cita brincadeira: ‘A gente não pode morrer’

0
126

Luciano e Lorena se casaram no dia 12 de agosto, em Araguaína. O professor universitário morreu no último sábado (16) após sofrer acidente de moto. Luciano e Lorena se casaram no dia 12 de agosto; ele morreu cerca de um mês depois
Divulgação
34 dias após dizer o tão esperado ‘sim’, em um casamento dos sonhos, a história de Luciano Fernandes e Lorena Feitosa mudou completamente. O professor universitário morreu, aos 44 anos, após sofrer um acidente de moto em Araguaína. Já ela passou a viver ‘os piores dias da vida’. Ao g1, a analista jurídica contou os detalhes de como os dois se conheceram, a felicidade do casal durante a cerimônia, no dia 12 de agosto, e os momentos difíceis após ser surpreendida pela morte prematura do marido.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
Lorena relatou que dias após o casamento, ela chegou a brincar com o marido.
“Eu brincava e falava: ‘Mozi, agora a gente não pode morrer’. Aí ele falava que iria me martirizar até os 120 anos e que ele iria primeiro porque não sobreviveria se eu fosse primeiro”.
Luciano e Lorena se conheceram em 2020, durante a pandemia, através das redes sociais. Eles marcaram o primeiro encontro na Via Lago, cartão postal da cidade, e depois não se desgrudaram mais. Começaram a namorar pouco tempo depois e decidiram se casar.
Casamento de Luciano e Lorena foi realizado no dia 12 de agosto, em Araguaína
Divulgação
A cerimônia foi realizada no dia 12 de agosto, com 130 convidados, em uma chácara da cidade. O sonho de Luciano era formar uma família com Lorena e ter mais filhos. Ele já tinha um filho, o Mateus, de 11 anos, fruto do primeiro casamento.
“Eu estava muito feliz, eu era a noiva, eu tinha organizado tudo. Mas todo mundo veio falar que nunca viu um noivo tão feliz e a nossa celebrante falou: ‘Lorena, você estava maravilhosa, estava tão feliz, mas o Luciano estava sobrenatural a felicidade dele. Não era desse mundo a felicidade que ele estava sentindo”.
LEIA MAIS:
Esposa de professor morto em acidente diz que viu marido vivo e pensou que seria apenas um susto: ‘Ele queria tanto viver’
Professor da UFNT morre após acidente de moto no norte do Tocantins
Amigos fazem homenagens a professor e lembram de casamento um mês antes de acidente: ‘como se estivesse se despedindo’
Professor universitário morto em acidente tinha se casado há cerca de um mês e esposa lamenta: ‘Coração estilhaçado’
Convidados que compareceram ao casamento disseram que Luciano aproveitou ao máximo a festa, como se estivesse se despedindo dos amigos e familiares. Lorena conta que ele não queria gastar tanto no evento. O objetivo era investir o dinheiro em um imóvel.
Mas, no dia, a cerimonialista fez um vídeo perguntando se Luciano faria a festa novamente e ele respondeu: ‘Eu venderia tudo para fazer isso aqui’. Nas imagens, ele ainda fala que a festa foi maravilhosa e que estava muito feliz.
Após o ‘sim’, o casal viajou para o nordeste em lua de mel. Ao voltarem para Araguaína, os dois celebraram os 30 dias de casamento. Na última sexta-feira (15), um dia antes do acidente, eles receberam o vídeo oficial do evento, assistiram juntos e se emocionaram.
Luciano tinha sonho de constituir família, diz esposa
Divulgação
No sábado, Luciano voltava da academia quando se envolveu em um acidente de moto. Ele foi se desviar de um carro e acabou batendo em um conteiner. Lorena disse que recebeu a notícia da colisão, mas que quando chegou ao local, o marido estava vivo, dentro da ambulância do Samu. Ela pensou que seria apenas um susto, mas quatro horas depois, recebeu a notícia da morte do marido.
“É inacreditável, 34 dias de casada, parece aquela coisa de filme, quantas vezes eu já vi notícias muito tristes e que me chamaram a atenção. A gente reza pela pessoa e ainda pensa: ‘Ainda bem que não sou eu que estou passando por isso’. E agora sou eu. Isso pode acontecer com qualquer um de nós”, lamentou.
Luciano beija filho, de 11 anos, durante casamento em Araguaína
Divulgação
A servidora disse que tem consciência de que será preciso enfrentar o luto, mas que não consegue pensar no futuro. Mesmo com toda a dor e tristeza, ela afirmou que passaria por tudo de novo para viver esse grande amor.
“Ele era o amor da e para a minha vida. Eu tinha certeza que ele não iria viver até os 100 anos, não sei porque, quando eu casei eu sabia disso. Mas eu passaria por tudo de novo, mesmo sabendo como iria terminar. O futuro é o que mais angustia, porque eu sei que eu vou sofrer muito mais depois. Foram três anos muito intensos, vai ser um futuro difícil, mas eu tenho que viver esse luto, não tem outro jeito”.
Legado na educação
Luciano fez pós-doutorado nos EUA, se tornou pesquisador do CNPq e viajou para a África, antes de morrer
Arquivo Pessoal
Aos 13 anos, quando perdeu a mãe, Luciano Fernandes Sousa prometeu que seria um cientista. O tempo passou e ele se esforçou para cumprir a promessa. Se tornou pesquisador do CNPq, fez pós-doutorado nos Estados Unidos e foi convidado pela Organização das Nações Unidas para dar cursos e palestras na África, em novembro do ano passado. Muitos sonhos foram realizados antes da morte.
Luciano dava aulas para alunos do curso de zootecnia e medicina veterinária da Universidade Federal do Norte do Tocantins (UFNT). Além disso, era coordenador do programa de pós-graduação Integrado em Zootecnia nos Trópicos. Como pesquisador, deu contribuições valiosas para a ciência.
O professor tinha mais de 100 artigos publicados e era apaixonado por pesquisas. Em entrevista ao g1, Lorena afirmou que fará questão de falar das contribuições que Luciano deu para a ciência. A intenção é inspirar pessoas através da trajetória de um homem, que ficou órfão de mãe muito novo e lutou para fazer a diferença na área da educação.
“Minha própria mãe não sabia da importância que Luciano tinha porque ele era humilde até demais. Eu tenho uma necessidade tão grande de falar dele, de as pessoas saberem como ele era, porque ele era diferente. Ele falava que tinha tudo o que ele tinha por causa da educação”.
Em novembro do ano passado, Luciano foi convidado para ministrar um curso na África
Arquivo Pessoal
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins