Multas por uso indevido do celular ao volante no TO passam de 280 desde o começo do ano

Desde o começo de 2019, quase dois mil motoristas já foram autuados pela infração. Prática pode ser tão perigosa quando beber e dirigir.

0
108
Divulgação/ DETRAN TOCANTINS.

Aparelhos celulares já fazem parte integralmente do cotidiano das pessoas, e a tendência é que cada vez mais a tecnologia esteja presente, um exemplo é que hoje, após realizar todos os processos para obter a sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH), o condutor pode sair com a CNH em mãos na tela do seu telefone. O problema disso fica no uso incorreto do aparelho, onde motoristas utilizam o telefone celular enquanto conduzem veículos, banalizando a atenção necessária para se inserir no trânsito.

“Dirigir com segurança exige total atenção do condutor. Ao utilizar o celular no volante, você não só desvia o foco da visão e da audição como diminui a percepção de possíveis riscos do trânsito. O condutor coloca em risco não só a própria vida como a de todos aqueles ao seu redor.” explica o Gerente de Fiscalização e Segurança, Matorama Pereira, sobre a prática.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, no artigo 252 inciso seis, dirigir um veículo utilizando telefone celular e/ou fones de ouvidos conectados a algum dispositivo sonoro é infração gravíssima e prevê multa de duzentos e noventa e três reais e quarenta e sete centavos (R$ 293,47), além de sete pontos no prontuário do condutor.

Em 2019, o Departamento Estadual de Trânsito do Estado do Tocantins (Detran-TO), registrou cerca de 1957 autuações em condutores por infrações que envolvem a utilização do celular, e até fevereiro deste ano já foram registrados 284 autuações.

Um dos princípios da direção defensiva no trânsito é o tempo de reação ao qual o motorista tem para ver, analisar e planejar sua ação ao se deparar com alguma situação adversa no trânsito. Pesquisas apontam que a prática de manusear o telefone enquanto dirige é tão perigosa quanto dirigir embriagado, por exemplo: enviar mensagens retarda em 35% a reação do motorista, e o percentual é menor nos casos de condutores que ingeriram bebida alcoólica com cerca de 12%.

Matorama alerta que até mesmo atender ligações oferecem riscos de acidentes: “É importante saber que até mesmo funções que não exigem foco visual, como ligações, são perigosas. Ao conversar com alguém pelo viva voz ou com fones de ouvido, você não perde apenas a noção auditiva, como também desvia a atenção do Trânsito para o assunto da conversa.”. O alerta tem o objetivo de proporcionar mudança comportamental para uma melhor qualidade de vida.

O Detran-TO executa a política de trânsito, bem como cumpre e faz cumprir a legislação de trânsito no âmbito do Estado do Tocantins afim de promover um trânsito mais humanizado.