Live da Educação ‘Povos Indígenas – Nossas Raízes’ promove reflexões sobre representatividade no Tocantins

0
158
A live teve como pauta a importância da história de luta dos povos tradicionais, além da promoção de reconhecimento

Representantes de cinco etnias indígenas do Estado participaram do debate sobre história, luta por território e educação indígena



A Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) promoveu na tarde desta segunda-feira, 19, data em que se celebra o Dia do Índio, a live ‘Povos Indígenas – Nossas Raízes’. Por meio de uma roda de conversa entre a titular da Pasta, professora Adriana Aguiar, o procurador da República, Dr. Álvaro Lotufo Manzano, e representantes das 7 etnias indígenas do Tocantins, a live teve como pauta a importância da história de luta dos povos tradicionais, além da promoção de reconhecimento.

Participaram da live autoridades de cinco etnias indígenas do Estado do Tocantins, os povos Javaé, Xambioá, Krahô, Xerente, e Krahô – Kanela. Eles compartilharam trajetórias de luta pela conquista de território e espaço na sociedade. A mediação do evento contou com o gerente de Educação Indígena da Seduc, Waxiy Maluá Karajá.

Amaré Gonçalves de Brito, professor e conselheiro do Conselho Estadual de Educação Indígena (Ceei-To), representante do povo Krahô – Kanela, pontuou que é importante dar voz aos povos indígenas. “A data de hoje é importante para todos os povos indígenas em sua diversidade. Comemorar é sinônimo de resistência, pois somos povos que sofremos há anos com a perda de espaços e silenciamento da cultura. Nos últimos anos, vimos avanços nas lutas pelos nossos direitos e territórios, e é motivo de orgulho ver que estamos resistindo, poder compartilhar a nossa história e traçar objetivos e conquistas maiores”.

A titular da Seduc, Adriana Aguiar, destacou que o Governo do Tocantins vem atuando pela representatividade e investindo no diálogo. “Queremos agradecer o trabalho dos servidores frente à Educação indígena no Tocantins, nas próprias Escolas Estaduais Indígenas, pelo espaço criado para discutir políticas  públicas educacionais. Nessa live, o objetivo é reforçar as raízes culturais dos povos indígenas, além de levar o nosso reconhecimento, e ver o quanto nós avançamos nas ações voltadas para a educação indígena”, ponderou.

Educação Indígena no Tocantins

O procurador da República, Dr. Álvaro Lotufo Manzano, fez reflexões acerca da Constituição de 1988, que estabelece, além do direito à educação básica tradicional, respeito à diversidade cultural e linguística.

“O Tocantins é um espaço importante no desenvolvimento da educação formal para os povos indígenas. Como o Estado foi criado com a Constituição, foi um dos primeiros a construir escolas dentro das terras indígenas, mantendo essa diversidade. E quando se fala de educação indígena, deve-se levar em consideração o respeito a essa diversidade cultural, promovendo o desenvolvimento e a formação de professores indígenas que atuam em suas comunidades”.

Gerente de Educação Indígena da Seduc, Waxiy Maluá Karajá destacou durante a live que a Educação Indígena no Tocantins tem avançado. “Acredito que uma das conquistas que tenho a agradecer, hoje, é ao Governo do Estado por ter atendido ao pedido dos povos indígenas de ter um representante dentro da Secretaria de Educação. É uma satisfação enorme para os povos indígenas ver esse reconhecimento e por poder traçar um diálogo, fazer intermediação, entre as comunidades e o Executivo de maneira autêntica”.

No Estado, cerca de 13 mil indígenas estão distribuídos em 165 aldeias, das quais 118 possuem escolas, incluindo extensões de outras unidades, para atender a uma demanda de 6,2 mil estudantes de sete povos – Apinajé, Javaé, Karajá, Krahô, Xambioá, Xerente e Krahô – Kanela. Cada um desses povos conta com dois representantes no Conselho Estadual de Educação Indígena, que atuam respeitando as especificidades socioculturais de cada povo.

Foto: Divulgação
Guilherme Gandara/Governo do Tocantins