Forças de Segurança apreendem réplicas de armas de fogo que eram utilizadas para intimidar população de assentamento em Marianópolis

0
21
Foto: Divulgação Polícia Civil do Tocantins

Homem investigado veio de Brasília e estava no assentamento há pouco tempo.

Policiais civis da 56ª Delegacia de Marianópolis e da 63ª Delegacia de Paraíso do Tocantins deflagraram nesta quinta-feira, em Marianópolis, uma ação conjunta com apoio de policiais militares daquela cidade, a qual resultou na apreensão de réplicas de armas de fogo que eram usadas para intimidar a população do P.A. Piracema em Marianópolis.

De acordo como delegado-chefe da 56ª DP, José Lucas Melo, que foi o coordenador da operação, os objetos (réplicas de um revólver calibre 357 e de um rifle calibre 38) foram apreendidos durante o cumprimento de mandado judicial obtido por meio de investigação realizada pela Polícia Civil, nos últimos dias.

Ainda segundo a autoridade policial, o caso passou a ser investigado pela Polícia Civil depois que foram obtidos relatos de que um suspeito, homem com 54 anos, mudou-se recentemente para o local, vindo de Brasília e teria passado a ostentar as armas como se verdadeiras fossem. Desse modo, o indivíduo criou conflitos com a comunidade local e passou a ser temido pela população.

Com base nos relatos, os policiais civis intensificaram as investigações e acabaram comprovando a veracidade dos fatos. Sendo assim, o delegado José Lucas representou, junto ao Poder Judiciário, por mandado de busca e apreensão na residência do suspeito, onde foram localizadas as réplicas de arma de fogo. No entanto, ao ser abordado e ter as réplicas descobertas pelos policiais, o suspeito mudou de comportamento e passou a chorar copiosamente, afirmando ao Delegado que tudo não passava de brincadeira, que as armas eram de brinquedo e que jamais teria a intenção de ferir ninguém.

No entanto, o relato emocionado não convenceu a autoridade policial e, assim, os objetos foram apreendidos e o suspeito foi conduzido à Delegacia local onde foi interrogado. As investigações prosseguem e estão sendo realizadas pela Delegacia de Marianópolis, no sentido de esclarecer todas as circunstâncias dos fatos.

Por: Rogério de Oliveira/Governo do Tocantins