Sindicato cita economia com jornada de 6 horas e pede que Estado mantenha horário

TSE deve cobrar de Marcelo Miranda R$ 15 milhões gastos com eleição suplementar
15 de agosto de 2018
Briga por herança e tentativa de homicídio leva ao indiciamento de advogado
15 de agosto de 2018

Sindicato cita economia com jornada de 6 horas e pede que Estado mantenha horário

O Sindicato dos Servidores Públicos do Tocantins (Sisepe-TO) enviou ofício ao governador Mauro Carlesse (PHS), solicitando a manutenção da jornada de 6 horas no serviço público estadual. Conforme o Decreto nº 5,811, que instituiu a jornada reduzida no dia 30 de abril, o horário de 6 horas corridas vence no próximo dia 31.

Para justificar o pedido, o Sindicato relembrou que, na última vez que ocorreu a redução do tempo diário de trabalho de 8 horas para 6 horas, de novembro de 2016 a abril de 2017, a economia alcançada pelo governo chegou a R$ 8,8 milhões.

Com a redução da jornada, o Sindicato aponta economia com água, energia elétrica, diárias, passagens, telefone, combustível, material de expediente e consumo, manutenções com veículos e demais gastos com os órgãos públicos, “recursos que podem ser revertidos para áreas importantes, como, por exemplo, a saúde, a segurança pública e a infraestrutura”, informou.

Se pronunciando em nome dos servidores, o Sindicado ainda pontua que interromper a jornada de 6 horas hoje geraria transtorno para a população, “que já esta adaptada ao funcionamento do governo de 8 às 14 horas. E vale salientar que esse horário, atende melhor o funcionário do comércio, que tem a possibilidade de usar o seu horário de almoço, normalmente das 12 às 14 horas, para buscar atendimento e algum órgão público do Estado, antes fechado para horário de almoço. É preciso ressaltar que a jornada de 6 horas melhora a produtividade do trabalho do servidor público e com isso também o atendimento do cidadão. E o servidor público agora têm mais tempo para sua família, para o lazer e para as compras nas suas cidades”, finaliza o Sisepe-TO.