Agosto Verde: práticas corretas no trato da vaca leiteira garantem bom rendimento na produção

Polícia Civil apreende mais de 20 kg de Maconha em Araguaína
10 de agosto de 2019
Fundação Cultural de Palmas lança processo seletivo para o 4º Salão Palmense de Novos Artistas
11 de agosto de 2019

Agosto Verde: práticas corretas no trato da vaca leiteira garantem bom rendimento na produção

Produtores tiram dúvidas sobre como aumentar o rendimento em suas propriedades em Dia Técnico voltado a boas práticas na Bovinocultura Leiteira.
Fonte Prefeitura de Palmas
Representantes do Ruraltins, Sicoob Credipar, Banco da Amazônia e Banco do Brasil orientam produtores sobre crédito rural.

Na propriedade rural de 5,65 hectares do produtor de leite e queijo frescal Dirceu Martins de Azevedo, as boas práticas no trato dos bovinos estão rendendo resultados exitosos e lucrativos. No local existe um silo feito a partir do uso do capim capiaçu, resultado de um melhoramento genético do capim-elefante, que garante alimento de qualidade para os animais durante o período de estiagem.

Os resultados obtidos na propriedade com o uso do silo e gestão adequada da produção foram apresentados durante o Dia Técnico Sobre Boas Práticas na Bovinocultura Leiteira, na manhã de sexta-feira, 9, na programação de ações previstas durante o Agosto Verde, evento que objetiva expandir o acesso às tecnologias em prol da sustentabilidade e desenvolvimento da agricultura familiar.

Dezenas de produtores aproveitaram para tirar dúvidas sobre como aumentar o rendimento em suas propriedades. Além disso, o momento contou com a parte de orientação sobre crédito rural, importante instrumento que ajuda a viabilizar e realizar projetos que demandem investimento financeiro. As orientações foram repassadas por representantes do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Sicoob Credipar, Banco da Amazônia e Banco do Brasil.

O Médico Veterinário, Cláudio Sayão, comprova a qualidade do alimento dos animais .

 

Resultados

Com a orientação técnica fornecida pela Secretaria de Desenvolvimento Rural de Palmas (Seder), Martins consegue retirar uma média diária de 85 litros de leite de 10 vacas em intenso período de lactação. E mesmo com a falta de água e secura provenientes da estiagem na região, a produção de leite não caiu, graças ao uso adequado do capiaçu na alimentação do gado.

A plantação do capim ocorreu em uma área de 0,7 hectare, passando pela colheita em maio desde ano. O produtor investiu em torno de R$ 3 mil para o plantio e montagem do silo.

A dinâmica para montagem do silo é bem simples, contando com a preparação do solo, plantio, colheita e estocagem. O material colhido deve ser devidamente compactado, coberto com lona própria para evitar a presença de umidade, e consequente perda do material.

Capim capiaçu, resultado de um melhoramento genético do capim-elefante.

Conforme o médico veterinário da Seder, Cláudio Sayão, é essencial o cumprimento de todas as etapas, que garantirão a qualidade do material e evitarão que ele estrague, pois estará acondicionado ao ar livre, apenas coberto e isolado pela lona.

Fotos: Regiane Rocha.